quarta-feira, 18 de maio de 2011

Arbitrar final é um sonho para Velasco Carballo

A dar os últimos passos na preparação para dirigir o embate entre FC Porto e Sp. Braga, o espanhol Carlos Velasco Carballo reconhece ser este o ponto mais alto da sua carreira de árbitro. 
Clique aqui para ouvir e ver a entrevista
Carlos Velasco Carballo atinge na noite desta quarta-feira o ponto alto da sua carreira, ao dirigir a sua primeira final europeia: a final da UEFA Europa League, entre FC Porto e Sporting de Braga. Numa entrevista exclusiva ao UEFA.com, o árbitro de 40 anos, de Madrid, fala da nomeação para o encontro da Dublin Arena e do seu significado.

UEFA.com: Este vai ser o maior jogo da sua carreira?
Carlos Velasco Carballo: Sim, é sem dúvida o maior encontro para o qual já fui nomeado, o jogo de maior cartaz e é um sonho para mim estar aqui e ter sido eleito para dirigir esta final. Fiquei muito orgulhoso quando fui escolhido para apitar os "play-off" da Liga egípcia há uns anos - uma experiência bastante diferente da que se vive no futebol europeu. Também já arbitrei a SuperTaça de Espanha e meias-finais da UEFA Champions League e da Taça de Espanha. Tive a felicidade de já ter dirigido excelentes jogos. Nenhum Campeonato do Mundo ou da Europa até ao momento, mas é para isso que trabalho, para atingir o mais alto nível.
UEFA.com: Quando ficou a saber que iria dirigir esta final e o que sentiu nesse momento?
Velasco Carballo: Comunicaram-me pelo telefone, na segunda-feira. Foi um dos dias mais felizes da minha vida. Inesquecível.

UEFA.com: Como está a ser a preparação para este jogo, a nível individual e como membro de uma equipa de arbitragem de seis elementos?
Velasco Carballo: Uma das minhas principais qualidades é a forma como me preparo para os encontros - assisto ao maior número de jogos possível das equipas envolvidas. Vi quatro de cada formação desta final, prestando especial atenção às tácticas, aos lances de bola parada e à forma como se posicionam defensivamente e no ataque. Depois há a preparação física e, tratando-se de uma final, há ainda mais em que pensar. Tivemos uma sessão de treino pré-jogo esta tarde [terça-feira] e esta noite vamos reunir-nos para observarmos alguns vídeos. Amanhã [quarta-feira] teremos de tratar de alguns procedimentos administrativos e, depois, realizaremos uma segunda reunião, na qual centraremos atenções no nosso trabalho como seis árbitros.

UEFA.com: Já está suficientemente familiarizado com esta experiência dos dois árbitros assistentes adicionais?
Velasco Carballo: Tive a felicidade de estar envolvido nesta experiência desde os primeiros testes, no Europeu de Sub-19 realizado na Hungria. Assim, não vai ser um problema para mim, pois já estou bastante acostumado. Tem de se trabalhar bastante o sistema de comunicação antes do jogo - tem de se ser directo, claro e conciso. Uma ou duas palavras, apenas - penalty, "nada", "falta". De outra forma, com o ruído dos adeptos e seis pessoas a falarem acabamos por nos perder. Há que tomar decisões rapidamente. Tomamos a decisão e, depois, podemos conversar entre nós.

UEFA.com: Quanto tempo demorou até chegar a este momento memorável e por que outros marcos passou na sua carreira até aqui?
Velasco Carballo: Comecei a arbitrar com 16 anos e já fiz 24 temporadas. Tirando ser filho dos meus pais, o que sou há mais tempo é árbitro - sou  há mais tempo do que sou pai, marido ou engenheiro. Realizei vários cursos na UEFA e tenho de salientar o programa de talentos e mentores, o qual tive o privilégio de integrar há um ano e meio. Temos dois mentores a acompanhar os jovens árbitros, a trabalhar com eles, a oferecerem conselhos. Trata-se de um excelente projecto. Sou árbitro internacional há três anos. Ao fim de 21 temporadas e cinco anos como árbitro de primeira categoria em Espanha, fiquei extremamente feliz por passar a integrar a lista de árbitros internacionais.

UEFA.com: É, hoje, árbitro a tempo inteiro?
Velasco Carballo: Sim, há cerca de um ano e meio deixei o meu emprego como engenheiro numa empresa multinacional para me dedicar a tempo inteiro à arbitragem. O futebol ao mais alto nível requer muito tempo de dedicação, muitas viagens, preparação, estudo das equipas, treino - não é compatível com outra profissão a tempo inteiro. Então dediquei-me de corpo e alma à minha paixão pela arbitragem.

UEFA.com: Quais as suas expectativas para a final? A sua família estará presente para o ver actuar?
Velasco Carballo: Espero um jogo bastante disputado, com muita paixão e entrega por parte dos jogadores e dos adeptos, e duas equipas sedentas de erguer o troféu, depois da excelente campanha que realizaram para aqui chegarem. Espero que seja um jogo de que todos desfrutem, quer ganhem, quer percam. A minha esposa vem assistir ao encontro, mas o resto da minha família vai ver o jogo em casa, em Madrid, reunida à volta da televisão para me apoiar – incluindo os meus filhos, Álvaro e Javier.

In:UEFA

Reacções:

0 comentários: