domingo, 21 de agosto de 2011

O que pode acontecer se uma equipa de arbitragem não comparecer ao jogo

A posição do Conselho de Arbitragem da Federação em não nomear ninguém para o Beira Mar-Sporting coloca a dúvida: quem vai afinal dirigir o jogo? O que acontece agora? O Maisfutebol falou com Pedro Henriques, ex-árbitro de primeira categoria, que dá as explicações. E até pode ser você a arbitrar, se estiver no estádio.

«Se não houver árbitros oficiais, como parece que não vai haver, e se não houver acordo entre Beira Mar e Sporting sobre quem dirige o jogo, e isso pode acontecer, vai ser anunciado na aparelhagem do estádio que não há árbitro e se há alguém que compareça junto do delegado da Liga para o apitar», começou por clarificar o ex-juiz lisboeta.

Assim, caso surjam árbitros licenciados, «cabe ao delegado da Liga escolher o mais credenciado», ou seja, aquele que estiver no escalão mais alto. No entanto, note-se, serão sempre precisas três pessoas, uma vez que terá de haver uma equipa de arbitragem completa. Ou seja, um juiz principal e dois assistentes.

E caso não haja árbitros no estádio? Pedro Henriques diz que o normal é haver, «até porque a situação já é conhecida há algum tempo», mas, mesmo assim, «pode ser uma qualquer pessoa do público». 

Se não houver quem se disponibilize para ajuizar a partida, árbitro ou não, explica Pedro Henriques que «o jogo tem de realizar-se na mesma e, nesse caso, ou seja, em última instância, apitam os capitães de equipa».
Ora, como são dois, um do Beira Mar e um do Sporting, quem faz de árbitro principal? «Os dois clubes podem chegar a acordo, por exemplo, podem concordar que é o João Pereira a apitar, mas, caso não concordem, haverá um sorteio ditado pelo delegado da liga», contou.

E o trabalho do quarto árbitro? «Cabe aos delegados de cada equipa levantar placas para substituições e o resto, como acontecia no passado», concluiu Pedro Henriques.

In:MaisFutebol

Reacções:

0 comentários: