sábado, 3 de setembro de 2011

Conselho de Justiça da FPF iliba árbitro Rui Costa


O Conselho de Justiça da FPF ilibou completamente o árbitro Rui Costa e a sua equipa (Serafim Nogueira, Tomás Santos e Miguel Malheiro) do caso que resultou das agressões ocorridas no último Benfica-Nacional da Madeira.

Os árbitros tinham sido castigados pela Comissão Disciplinar da Liga com dois jogos de suspensão (um apenas para o 4.º árbitro, Miguel Malheiro) porque esta considerou que se encontravam a dez metros dos incidentes e que "omitiram deliberadamente" no relatório os factos reportados pelas imagens televisivas. Uma decisão que contrariou duas propostas feitas por relatores indicados por estes comissão e que consideravam que a equipa de arbitragem não viu o que aconteceu entre Jorge Jesus e o jogador Luís Alberto, o que não invalidou que tivesse sido ordenado um terceiro inquérito que terminou com a condenação dos árbitros.

O Conselho de Justiça da FPF acaba agora com as dúvidas, considerando "falso e sem qualquer factualidade" que os árbitros se encontravam a dez metros dos incidentes. O CJ entende que os árbitros estavam naquela à altura a esclarecer um jogador do Nacional sobre um lance ocorrido durante o jogo e apenas viram um aglomerado de pessoas no centro do terreno. "A Comissão Disciplinar da Liga baseou-se em presunções para punir", lê-se agora no acórdão do CJ da FPF, a que Record teve acesso.

O CJ da FPF considera que os árbitros estavam a 20 metros do local dos incidentes e que cerca de 20 pessoas envolviam os protagonistas dos mesmos. Considera também que o International Board, a FIFA e a UEFA proibem os árbitros de extrapolar para os seus relatórios incidentes que apenas tenham visionado na televisão.

"Na verdade, e em síntese, a equipa de arbitragem não presenciou esse conflito", concluiu o CJ da FPF.

Os árbitros, entretanto, já cumpriram os castigos que foram aplicados pela Comissão Disciplinar da Liga.

In:Record

Reacções:

0 comentários: