sexta-feira, 18 de maio de 2012

Arbitragem feminina a subir de nível

A qualidade das árbitras internacionais da UEFA tem aumentado significativamente, acompanhando o crescimento do futebol feminino, como o testemunha Dagmar Damková.

A árbitra Sílvia Domingos participou neste curso, podem vê-la com o dorsal nº52


As árbitras internacionais do continente europeu encontram-se em Nyon para mais um curso da UEFA e estão a mostrar que os padrões da arbitragem feminina estão a subir, em linha com os desenvolvimentos técnicos, tácticos e infra-estruturais que fazem, hoje, do futebol feminino uma força reconhecida por todos.

Ao todo, são 32 as árbitras presentes no curso, que conta com a participação de elementos da categoria de elite da UEFA e de desenvolvimento de elite, bem como com novas árbitras internacionais. O curso é composto por sessões práticas e de preparação física, com os membros do Comité de Arbitragem da UEFA a proporcionarem conselhos de especialistas sobre diversas matérias como o posicionamento e movimentações, mão na bola, fora-de-jogo, gestão da marcação de livre e prevenção de lesões.

As "juízas" vão analisar a arbitragem na final da UEFA Europa League, enquanto as novas árbitras internacionais receberão instruções da administração da UEFA sobre os deveres de um árbitro num jogo europeu.

Dagmar Damková, antiga árbitra internacional da República Checa, integra o Comité de Arbitragem da UEFA e esteve em Nyon ao lado de Bo Karlsson, seu colega de comité, para observar os progressos verificados pelas principais árbitras do futebol europeu.

"Estes encontros são muito importantes. É fundamental que as árbitras se encontrem com membros do Comité de Arbitragem, de forma a receberem instruções e a alcançarem uma maior uniformidade de critérios nas suas decisões", explicou Damková ao UEFA.com. "Para as novas árbitras, este é um novo passo nas suas vidas e o facto de estarem aqui confere-lhes uma motivação extra."

"As árbitras de elite e as novas árbitras internacionais estiveram juntas durante algumas das apresentações e puderam discutir diversas questões em conjunto. As novas árbitras podem aprender com as de elite e colocar-lhes dúvidas. Cobrimos, igualmente, os mesmos tópicos que abordamos com os árbitros do sexo masculino, pois o futebol é só um e as regras que se aplicam são iguais para todos."

Imagens vídeo ajudaram as árbitras a identificar áreas onde podem melhorar ainda mais e uma análise aprofundada da arbitragem da final da UEFA Europa League, entre Club Atlético de Madrid e Athletic Club, em Bucareste, foi uma actividade que mereceu aplausos. "Não queremos que os árbitros pensem apenas nas suas notas", explicou Damková. "Queremos que vão mais além e vejam os jogos como os observadores de arbitragem os vêem, olhando para os encontros com outros olhos e pensando mais nas decisões que tomaram."

Damková, internacional desde 1999, apitou a final da UEFA Women’s Champions League de 2011, entre Olympique Lyonnais e 1. FFC Turbine Potsdam, em Londres, e conquistou uma grande reputação graças às suas qualidades enquanto árbitra de futebol. Sente que o seu papel lhe oferece uma oportunidade de enorme valor para partilhar a sua experiência internacional com as suas colegas.

"Gosto muito do que faço. Arbitro há 16 ou 17 anos e creio que cheguei longe [enquanto árbitra]", afirmou. "É bom poder partilhar tudo isto com outras árbitras. E, naturalmente, é evidente que todas elas querem discutir os diferentes aspectos da arbitragem e aprender mais."

A arbitragem feminina evoluiu e desenvolveu-se a par do futebol feminino. "Hoje, temos de preparar muito bem os jogos", reconhece Damková. "O factor táctico é cada vez mais importante e há que analisar os grandes jogos – EUROs, Campeonatos do Mundo –, porque existem movimentações especiais nos pontapés de canto, por exemplo, e tem de se estar preparado para isso. Os níveis físicos também cresceram bastante. O futebol feminino é, actualmente, muito mais rápido, as jogadoras treinam mais e, por isso, as árbitras também têm de treinar mais."

As árbitras são agora consideradas capazes de dirigir jogos de futebol masculino ao mais alto nível, e a própria Damková já apitou jogos masculinos na Liga checa. "Há que conquistar o respeito dos jogadores. Quando conseguimos ganhar esse respeito, sentimo-nos mais fortes", realça.

E que conselhos gostaria ela de deixar a alguma rapariga que queira entrar para o mundo da arbitragem? "Penso que, primeiro que tudo, devem procurar um mentor, alguém que vos ajude, porque irão existir momentos complicados. Devem contar com alguém que vos apoie e que seja honesto convosco, para que possam aprender com os vossos erros. Devem ser humildes, mas ter confiança e trabalhar muito."

In:UEFA

Reacções:

0 comentários: