sábado, 30 de junho de 2012

Webb antecipa o que Proença «vai sentir ao apitar a final»

Howard Webb apitou as finais da Liga dos Campeões e do Campeonato do Mundo em 2010. O inglês já antecipou o que «vai sentir Pedro Proença», quando subir ao relvado do estádio em Kiev. Para o britânico «é um momento que muda a vida de um árbitro».

«É algo que muda a nossa vida, a dos nossos auxiliares e a das nossas famílias», começou por referir Howard Webb, que dirigiu duas finais em 2010.


O britânico sublinha que «como é óbvio, estamos conscientes da importância do jogo, mas o nosso papel é fazer aquilo para o qual fomos escolhidos».
«São na mesma 11 contra 11, durante 90 minutos, ou duas horas, caso seja preciso prolongamento. Aquele nervoso miudinho que se sente sempre, vai desaparecer. Quando se apita pela primeira vez, temos que lembrar a nós próprios que já fizemos aquilo vezes sem conta. Penso que com os jogadores é o mesmo - só querem que comece», explicou Webb, em declarações ao sítio oficial da UEFA.

A finalizar, Webb assume que «é o detalhe que valoriza os grandes árbitros».

«Quando se vir os árbitros a subir as escadas e a receberem as suas medalhas em Kiev, podem estar certos que é precisamente essa grande atenção ao detalhe que os colocou lá».

Reacções:

0 comentários: