sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Bomba em Angola: FIFA retira insígnias a árbitro Hélder Martins


A FIFA decidiu retirar ao angolano Hélder Martins as insígnias de árbitro internacional, uma notícia que caiu que nem uma bomba em Angola. A Federação diz desconhecer ainda os motivos para tal afastamento e garante já ter pedido esclarecimentos, via Confederação Africana de Futebol.

Hélder Martins, o mais categorizado árbitro angolano da actualidade, recebeu as insígnias em 2008 e foi chamado para diversas competições relevantes, como o CAN de 2010, um Campeonato do Mundo de sub-17 e diversos jogos de destaque das Afrotaças e da fase de apuramento para o CAN de 2010 e 2012 e Mundial de 2010.

Hélder Martins está incontactável no Brasil e apenas hoje deverá chegar a Luanda, aguardando por mais esclarecimentos para se pronunciar.

«Hélder Martins era o nosso porta-bandeira nas competições da CAF e da FIFA. É uma baixa grande o afastamento inesperado do nosso árbitro de referência. Estamos tristes», comentou Carvalho Neto, presidente da Comissão Central de Árbitros.

Já o vice-presidente da Associação de Árbitros de Angola (AAFA), Canda da Costa, considerou precipitada a decisão tomada. «Perante qualquer gravidade, se isso aconteceu, seria instaurado um inquérito para se apurar os factos e não o afastamento definitivo como aconteceu. Aguardamos por esclarecimentos», disse.

Expulsão por engano

Uma das explicações para este afastamento pode passar pelo polémico jogo entre Camarões e Senegal, de apuramento para o CAN 2012, em Junho passado, que terminou empatado a zero e com duas expulsões de jogadores senegaleses e do seu seleccionador Amara Traore.

Acontece que Hélder Martins expulsou um jogador por engano, Souleymane Diawara, que confundiu com Issiar Dia, julgando que lhe estava a mostrar o segundo amarelo, quando era, na verdade, o primeiro. A CAF, após ver as imagens, acabou por retirar o castigo a Diawara.

O jogo foi tão polémico que até o primeiro ministro do Senegal, Souleymane Ndene Ndiaye, se meteu ao barulho, exigindo a irradiação de Hélder Martins e acusando-o de ter prestado um favor aos Camarões por influência do presidente da CAF, Issa Hayatou, também ele camaronês.

Fontes ligadas à arbitragem admitem que esse jogo pode ter algo a ver com a decisão da FIFA, mas a verdade é os erros graves não seriam suficientes para uma posição radical, antes para outro tipo de punições.

Certo é que a FIFA acredita que algo de grave se passou, neste ou noutro jogo, para retirar a Hélder Martins as insígnias de árbitro internacional. Neste momento, as perguntas são mais do que as respostas.

Reacções:

0 comentários: