segunda-feira, 6 de junho de 2011

Árbitros reencontram reclusos na Mata Real

Uma formação de árbitros e assistentes dos diversos campeonatos de futebol defrontou hoje no Estádio da Mata Real uma equipa de reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, cumprindo uma tradição com mais de uma década.

Paulo Paraty, ex-árbitro internacional, "capitaneou" a equipa em que figuravam, entre outros, os árbitros de primeira categoria Jorge Ferreira e Manuel Mota, o árbitro internacional de futsal Pedro Paraty, para além de Tino de Rans.

Paraty referiu-se-lhe como a "estrela convidada" da equipa de árbitros e assistentes, mas o estudante de comunicação social disse ter-se "infiltrado" para realizar uma reportagem para o seu jornal decanal, "Há Pressa", cujo primeiro número será dado a conhecer a 11 de novembro, no Museu de Penafiel.

Tino de Rans jogou pouco, mas falou muito, a partir da bancada, onde assistiu à segunda parte de um encontro que os "juízes" acabaram por vencer por 5-3, confirmando a vantagem de 2-1 verificada no final do primeiro tempo, face a um conjunto que revelou ter talento individual, mas menor frescura física.

Ao apito final de Cunha Antunes, antigo árbitro, que partilhou a "condução" do encontro com José Leirós, outro ex-colega de lides, Tino de Rans gritou a plenos pulmões: "Sou o único adepto de futebol nesta bancada a torcer por uma equipa de árbitros".

Igual a si próprio, o homem que diz ser "mestrado em gente" promete fazer furor com a dita publicação, de que deu pormenores, mas pediu algum recato.

Em campo, Tino jogou no ataque, mas não evitou reparos do "técnico" e "capitão" de equipa Paulo Paraty, que, mais a sério, elogiou a iniciativa, explicando-a como "uma forma de proporcionar um dia diferente àquelas pessoas".

E acrescentou: "Mesmo para nós, este jogo é diferente. Todos gostamos de futebol, mas isto não é propriamente a nossa praia. Desta forma, podemos dar a entender, através de uma atividade reconhecida mundialmente, que se pode competir com regras".

O encontro que opõe anualmente árbitros de futebol a reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira tem a chancela da Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol (APAF), mas este ano, contrariando o habitual, mobilizou poucos espetadores.

In:Sic Noticias

Reacções:

0 comentários: