sábado, 30 de julho de 2011

"Época brilhante da nossa arbitragem com várias conquistas relevantes" António Matos

A arbitragem algarvia acaba de viver uma das suas melhores campanhas de sempre, com quatro primeiros lugares absolutos a traduzirem um destaque que há muito a região não alcançava. De entre todos os feitos, porventura o mais significativo e mediático resulte na circunstância de voltarmos a ter, após quatro anos de ausência, um juiz de campo (Nuno Almeida) no escalão principal do futebol português.

“Não há memória, pelo menos nos anos mais recentes, de uma temporada assim, marcada por grande  brilhantismo”, reconhece o presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol do Algarve, António Coelho Matos. As épocas anteriores “traduziram-se em sucessivas desilusões e, embora sabendo da capacidade e da valia dos nossos árbitros e observadores, estávamos um pouco apreensivos, atendendo
coragem e perseverança, superando várias barreiras num curto espaço de tempo. Esperemos que atinja em breve um outro patamar, a internacionalização, que será a consequência lógica dos progressos registados e dos brilhantes resultados obtidos nas últimas épocas.”

O presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol do Algarve realça, ainda, “os notáveis desempenhos dos nossos observadores. Trata-se de um registo único na história da arbitragem da região o duplo primeiro lugar obtido tanto no escalão mais alto do futebol como no de futsal, através de Andrelino
Pena e de António Pincho. Estas classificações traduzem competência, seriedade e dedicação e mostram que
temos no Algarve gente que, depois de concluir a carreira, continua a dar o seu melhor à causa que abraçou.”
a esses antecedentes recentes. Acabámos por ter notícias bem melhores que as esperadas, sendo  reconhecido o trabalho aqui desenvolvido e que já justificava, desde há longo tempo, outro tipo de atenção.”

Para António Coelho Matos “é muito importante o Algarve voltar a estar representado na primeira categoria da arbitragem, no futebol. Trata-se, de alguma forma, de um farol, de um sinal significativo de visibilidade, e também de um estímulo para os mais novos que anseiam lá chegar e passam a acreditar, com maior facilidade, que é possível alcançar esse patamar, o mais desejado.”

O primeiro lugar obtido por Sílvia Domingos no quadro feminino “é outro feito digno de nota. Trata-se de  uma conquista inédita na região, obtido por uma jovem que tem mostrado grandecoragem e perseverança, superando várias barreiras num curto espaço de tempo. Esperemos que atinja em breve um outro patamar, a internacionalização, que será a consequência lógica dos progressos registados e dos brilhantes resultados obtidos nas últimas épocas.”

O presidente do Conselho de Arbitragem da Associação de Futebol do Algarve realça, ainda, “os notáveis desempenhos dos nossos observadores. Trata-se de um registo único na história da arbitragem da região o duplo primeiro lugar obtido tanto no escalão mais alto do futebol como no de futsal, através de Andrelino
Pena e de António Pincho. Estas classificações traduzem competência, seriedade e dedicação e mostram que
temos no Algarve gente que, depois de concluir a carreira, continua a dar o seu melhor à causa que abraçou.”

Outro registo que António Matos considera “de grande significado” reside na promoção de dois árbitros de futebol à terceira categoria nacional. “Em várias campanhas recentes não conseguimos fazer subir o nosso primeiro classificado, por dificuldades várias, e agora tivemos a felicidade de festejar uma dupla promoção, por Carlos Cabral e Ricardo Martins estiveram muito bem quer nos exames escritos quer nas provas físicas
e se o sucesso do primeiro já seria uma conquista importante, ao colocarmos também o nosso segundo classificado a dirigir jogos das provas nacionais vivemos um momento de grande satisfação.”

No futebol, “os ganhos são evidentes, pois voltamos a ter um árbitro na primeira categoria e dispomos de mais dois juizes de campo nas competições nacionais. Regista-se apenas uma descida, do nosso único árbitro assistente nos quadros nacionais, o que é sempre de lamentar, mas não ensombra um balanço particular feliz, um dos melhores de sempre da história da nossa arbitragem, se juntarmos o brilhante registo da Sílvia Domingos e dos nossos observadores, embora aqui se registe uma descida dos quadros profissionais para os quadros da FPF.”

No futsal, “não se registam alterações e uma descida aos quadros regionais foi compensada com uma subida. Temos quatro árbitros na primeira categoria, dois entre os dez primeiros, e somos uma das principais associações nesta modalidade, no sector da arbitragem, incluindo um observador entre os melhores do país.”
Os brilhantes resultados alcançados na última época “servem de estímulo e de sinal de esperança para a arbitragem algarvia e esperamos que possam ser confirmados nos anos mais próximos.

Conseguimos conquistas relevantes e importa manter o entusiasmo e a dedicação que permitiram estes sucessos, para que outros possam surgir”, assinala António Coelho Matos.

In:Revista AFAlgarve

Reacções:

0 comentários: